Ora direis, sacrilégio! Concordo. Mas minha primeira impressão sobre a poltrona B3, um dos designs mais icônicos do século passado foi de puro desprezo.

Acho que o termo é forte, mas não conseguia entender como a Wassily Chair, escorregadia e desconfortável, podia seduzir tanta gente.

Quando sentei, escorreguei para o fundo de couro e imaginei que em segundos passaria pelo maior “mico” da minha vida. Tombo certo.

Para piorar, a dona da casa notou e me acalmou: “Fica tranquila, ela não vai desabar“. O sorriso amarelo me acompanhou o tempo todo e ficou pior ainda quando, ao levantar, tentei demonstrar elegância brigando com a saia que teimava em deixar à mostra o que não devia…

Tomei birra e sempre que topava com ela corria para encontrar um assento menos apavorante. O fato é que minha estreia mal sucedida me deixou com um trauma que a moderníssima poltrona não merecia. Afinal, casa de arquiteto que se prezava tinha sempre uma B3 na sala quase como uma escultura.

O húngaro Marcel Breuer, designer da poltrona, fez parte da primeira geração de profissionais formados pela famosa escola Bauhaus e destacou-se na área de mobiliário. A inspiração para a peça de mobiliário veio de uma bicicleta de aço tubular, uma novidade que surgia no mercado.

O húngaro Marcel Breuer sentado na poltrona que desenhou, Wassily

 

 Poltrona Wassily . Desenho dos componentes tubulares

Foi o que bastou para que o designer criasse o primeiro móvel feito de estrutura semelhante. O protótipo chamou a atenção do pintor Wassily Kandinsky, seu amigo e colega na Bauhaus e Breuer resolveu fazer uma especialmente para ele.

A poltrona era uma novidade e tanto e anos mais tarde, com a chancela do artista já famoso, foi renomeada com seu nome. Tudo isso aconteceu em 1926 e os primeiros modelos, feitos de lona, só foram fabricados em couro após a Segunda Guerra quando a empresa Gavina comprou a licença para fabricar a poltrona.  Atualmente várias fábricas reproduzem a Wassily, mas só a Knoll tem a licença da original.

Wassily Chair. Poltrona Wassily design de Marcel Breuer. Foto de lado da poltrona eveidencaindo seu desenho tubular

 

Isso dito, tenho notado um “comeback” da poltrona em várias reportagens de arquitetura e decoração. Ela merece.

Wassily Chair. Poltrona Wassily design de Marcel Breuer. Sala com duas poltronas pretas

Projeto: Iara Faria

 

Wassily Chair. Poltrona Wassily design de Marcel Breuer. na cor verde

Via Pinterest

Se você não tiver a sua, fique de olho no que existe nas lojas. Algumas têm cores vibrantes (acho que Breuer não aprovaria) mas nada como as clássicas e discretas.

Wassily Chair. Poltrona Wassily design de Marcel Breuer. Sala com duas poltronas na cor verde citrico

(Divulgação/Knoll)

 

Wassily Chair. Poltrona Wassily design de Marcel Breuer na cor vermelha

(Divulgação/Knoll)

 

O modelo não precisa de nada mais do que sua forma revolucionária. Que se mantêm até hoje, quase 100 anos depois de sua criação.

Wassily Chair. Poltrona Wassily design de Marcel Breuer

 

 

Suzete Aché

suzete.ache@conexaodecor.com

 

Você já conhece nossas redes sociais?

Já segue a Conexão Décor?

Passa lá no nosso Instagram e Facebook e acompanhe as novidades.

Conheça  também nosso Pinterest! Repleto de imagens para te inspirar.

 

tag: suzete aché

comentários