Fotografia versus Render Fotorrealista:

o mercado editorial em tempos de pandemia.

Por Fabiano Ravaglia

 

Nesse período de isolamento social em que fotógrafos e arquitetos estão impedidos de fotografar projetos finalizados, como imagens em 3D com qualidade de fotorrealismo podem ajudar os arquitetos a manter a divulgação dos seus projetos nas redes sociais?

No mercado editorial de arquitetura e decoração existe uma certa regra de apenas publicar projetos executados com imagens feitas por fotógrafos.

Mas imagens renderizadas por softwares com altíssima reprodução de realismo, atualmente chegam em qualidades até superiores a muitas fotos produzidas por fotógrafos.

Projeto BC Arquitetos. Imagem: direita Denílson Machado, MCA Estúdio / esquerda Studio Vir.

 

O que se vê nas redes sociais é uma constante dúvida se os projetos são fotografias ou imagens renderizadas, na incessante busca pelo “real versus virtual”, como se o virtual anulasse de alguma forma todas as intenções e conceito do projeto, com qualidades louváveis de criatividade, técnica e materialização de um pensamento.    

 

Projeto Studio Ro+Ca. Imagem: Studio Vir

 

Será mesmo que em época de pandemia, situação essa que nos obriga a ficar meses em casa, virtualizando todas as nossas comunicações e possibilidades de trabalhos presenciais, não faltará para os veículos de comunicação material de qualidade, com projetos novos e inovadores, para publicar?

Mesmo que isso ainda esteja no campo das ideias, não executável e com possibilidades concretas de uma fotografia digital virar uma obra-prima futura?  

 

Projeto Tripper Arquitetura. Imagem: Studio Vir

 

Com esses questionamentos em mente, vários profissionais renomados do mercado foram ouvidos para entender como reagem a publicação de imagens em 3D em mídias impressas, uma vez que esse caminho já acontece em perfis de design e interiores no Instagram.

Pela ótica de quem publica tanto impresso quanto online – revistas, jornais e sites – o período de pandemia abre essa reflexão.

Em estruturas colaborativas de menor escala, publicar projetos em 3D poderá virar uma realidade muito em breve devido a escassez de material executado.

Já em estruturas maiores, como grandes editoras que produzem as maiores revistas do país, essa regra é um tabu e parece ser indiscutível por entender que uma imagem 3D é apenas uma ideia não concretizada, e, portanto, não há muitas garantias do compromisso do arquiteto em realmente executar.

 

Projeto Manga Rosa Arquitetura para MOZAK Engenharia. Imagem: Studio Vir

Para os arquitetos entrevistados, não existe rivalidade entre fotografia e renderização, já que são produtos que se complementam na divulgação de um projeto.

Porém, para muitos, o 3D com qualidade de hiper-realismo muitas vezes substitui o fotógrafo quando a obra não é completamente executada conforme o conceito aprovado ou até com alterações em que os profissionais não foram consultados, o que descaracterizaria a sua criação.

Por incrível que pareça, situações como essas são muito frequentes e mesmo que haja uma grande ideia por trás, os projetos são descartados tanto pelos profissionais quanto pelos veículos de comunicação.

Na visão do fotógrafo Denilson Machado, do MCA Estúdio, a fotografia ainda passa maior credibilidade e compromisso com a realidade, mostrando para os clientes que porventura visitar o perfil de um arquiteto nas redes sociais, que ele não apenas cria como também torna possível a construção das suas ideias.

Assim, o 3D é uma ferramenta importante para viabilizar o projeto e abrir caminho para que os profissionais vendam melhor suas ideias, sendo a produção fotográfica um grande marco final da concretização de todo o processo.

E ainda sugere ter sempre um equilíbrio na divulgação, mesclando fotos de projetos executados com fotos digitais renderizadas.

 

Projeto Yamagata Arquitetura. Imagem: Studio Vir

 

Por fim, no olhar do artista digital Alessandro Giraldi, do Studio Vir, que ilustra essa matéria com ambientes inteiramente em 3D com nomes estrelados do mercado na sua cartela de clientes, “a fotografia digital serve aos veículos de comunicação da mesma forma que uma fotografia tradicional, passar ao cliente/leitor o conceito de criação do espaço, a composição, as texturas dos materiais e contar uma história”.

Em tempos de geração de conteúdo, as imagens renderizadas podem suprir esse espaço de tempo que uma construção levaria, tornando os escritórios mais ágeis na divulgação dos seus projetos.

No momento atual, contar histórias através de um material visual com qualidade, trazer ideias novas nos projetos, manter a divulgação dos projetos nas redes sociais é importante para se manter no mercado.

Não importa como será a divulgação, o mais intrigante é o encantamento que te faz olhar diversas vezes e se questionar: Isso é uma foto ou uma foto?

 

Projeto BC Arquitetos. Imagem: Studio Vir

 

Fabiano Ravaglia

 

Conheça nosso Pinterest! Repleto de imagens para te inspirar.

Você já conhece nossas outras redes sociais?

Já segue o Conexão Décor?

Passa lá no nosso Instagram e Facebook e acompanhe as novidades.  

TAG: Imagem 3D – Foto

comentários