Perdendo a cabeça na Sicilia!

por Marilia Arantes

  Toda vez que alguém fala da ilha italiana da Sicília, a primeira imagem que me vem à mente são as cabeças de cerâmica, usadas como vasos de plantas, coloridas e de tamanhos variados…

Elas estão nas varandas, nos hotéis, nos restaurantes

  Acho muito lindas!! A arte da cerâmica Maiolica foi trazida para a Sicília pelos árabes, que ensinaram a criar esses maravilhosos objetos.

No século XIII, os espanhóis de Aragão foram os primeiros a referir-se aos objetos cerâmicos coloridos como “maiolica”, porque as técnicas de queima e vitrificação usadas para criar essas peças eram similares àquelas usadas nas Ilhas Baleares de Maiorca.

  Existem muitos tipos diferentes de itens, padrões de cores, forma e os motivos pintados na cerâmica. Mas, sem dúvida, os objetos mais populares e fascinantes são os Mouros, ou Teste di Moro.

 

  Andando pelas muitas ruas estreitas de Taormina, você pode acabar na Via degli artisti, repleta de objetos-desejo. As cabeças estão onipresentes.

Outra cidade muito interessante é Caltagirone, conhecida como a cidade da cerâmica. Repleta de jazidas de argila, sofreu forte influência durante a colonização da Sicilia pelos árabes. Foram eles que batizaram a cidade como Qal´at alGhìràn, que significa Fortaleza dos Vasos, e trouxeram formas, cores, e técnicas de produção.  

  A lenda da cabeça moura remonta ao século XI, durante a dominação moura na Sicília e como na maioria das lendas, é mais uma vez culpa do Cupido… Um dia, uma jovem linda e honrada que morava em Kalsa , o bairro árabe de Palermo, cuidava de plantas e flores na varanda de sua casa, como estava acostumada.

Um rico comerciante mouro que estava passando apaixonou-se pela linda garota, de longos cabelos negros, e olhos azuis como o mediterrâneo – que imediatamente retribuiu seu amor.

Eles começaram a ter uma história de amor, até quando ela descobriu que o jovem árabe já tinha uma esposa e filhos esperando por ele em sua terra natal. De repente, viu-se de coração partido, e a honra perdida.

Ficou louca de ciúmes, e uma noite, enquanto ele dormia, ela pensou em um jeito de fazê-lo ficar com ela para sempre, e planejou sua vingança… Ela então cortou a cabeça do seu amado, e decidiu transformá-la em um vaso para cultivar sua planta de manjericão, e assim poder mantê-lo sempre por perto… As pessoas que estavam descendo a varanda começaram a olhar para a florescente planta de manjericão que crescia vigorosa, e ficaram com ciúmes de como as plantas dela floresciam.. E então começaram a forjar potes de cabeças de argila coloridas….

  A historia bizarra de amor serviu de inspiração para os também sicilianos Dolce & Gabbana, na coleção primavera-verão de 2013. As acusações infundadas de racismo não se sobrepuseram ao talento da dupla… sucesso de cores, moda e vendas.      

Romantic or creepy? O fato é que moda se espalhou, e hoje, as cabeças se tornaram um símbolo da arte cerâmica siciliana.
Essas são minhas, trazidas de Taormina pela minha mãe.
 
 

  Seguem algumas dicas, compras… e … Dopo facciamo i conti Mangia bene, ridi spesso, ama molto!

 

 

Brincos de @angelinaheart

 

Da artista Stefania Boemi, da Catania, um elo perfeito entre a tradição e a estética contemporânea. @stefaniaboemidesign

 

Da @pastorefaianca inspirado no fundo do mar

 

Lançamento da Cerâmica Luiz Salvador.

 

Lançamento da Cerâmica Luiz Salvador na Abup 2019 ( feira para o mercado de decoração).

 

Da coleção Romã, da @zanattacasa

  Marilia Arantes  

 

Conheça nosso Pinterest! Repleto de images para te inspirar.

Você já conhece nossas outras redes sociais?

Já segue o Conexão Décor?

Passa lá no nosso Instagram e Facebook e acompanhe as novidades.

TAG: Sicilia